Voltar   BateristasPT.com > OS MÚSICOS E A MÚSICA QUE NOS 'TOCA' > Bateristas e Percussionistas
Página Principal Registar FAQ Membros Calendário Pesquisar Mensagens de Hoje Marcar Fóruns como Lidos

Bateristas e Percussionistas Espaço para falarem sobre os vossos bateristas e percussionistas preferidos


Resposta
Opções
Não lido Qui, 12 de Abril de 2007   #1
Baronesa
 
Membro desde: 9-Mar-2007
Local: Lx
Mensagens: 244
Baronesa é uma jóia em brutoBaronesa é uma jóia em brutoBaronesa é uma jóia em bruto
[Biografia] Neil Peart

Aqui fica a primeira parte da tradução... quando tiver tempo segue o resto...

Neil Peart

O Regresso do Fogo


Neil Peart viveu uma vida de extremos. Tem um talento natural, e através de objectivos intensos e um compromisso total, conseguiu alcançar grandes feitos em bateria.
Ninguém mais, excepto Buddy Rich, inspirou mais bateristas pelo mundo inteiro do que Neil Peart.
Na sua carreira de trinta anos com os Rush – incluindo vinte e dois discos de ouro e platina, totalizando mais de trinta e cinco milhões de cópias vendidas – conseguiu mais no mundo musical do que muita gente alguma vez poderia sonhar.

Mas o que tem Peart para conseguir tais feitos? Perguntem a qualquer pessoa que tenha passado algum tempo com este senhor. Todos eles responderão a mesma coisa. O Neil tem uma grande paixão, um fogo, pelo que faz (tem sido um tema abordado constantemente nas letras que escreve). Nenhum grande artista atinge os seus objectivos sem essa paixão.

O mesmo fogo que quase se apagou há cinco anos atrás, quando a família Peart foi abalada pela tragédia. Em Agosto de 1997, a filha de Neil, Selena, então com 19 anos, morreu num acidente de viação. Inacreditavelmente, no decorrer do ano, a sua esposa, Jackie, sucumbiu a um cancro. A magnitude da perda era impensável – inimaginável.

Como é que se faz depois de viver uma tal perda? Mesmo sendo o brilhante homem que é, Neil não tinha a resposta para esta pergunta. Por isso ele foi literalmente procurar uma razão para viver.
Peart passou os dois anos seguintes numa viagem solitária, viajando de mota e percorrendo grandes quilómetros, atravessando a América do Norte e América Central.
Era um escape completamente necessário a Peart, porque o simples facto de tentar pensar na sua vida passada, só lhe trazia dor.

Peart acabou por regressar a sua casa no Canadá. E lá reencontrou a sua bateria, e durante duas semanas de loucura, acabou por se render à alegria, excitação e sim, frustração, de tocar bateria.
Uma pequena chama acendeu-se - possívelmente uma pequena chance na sua vida – e uma razão para continuar a viver.
Mas Neil admite que sabia não estar preparado para voltar aos grandes palcos ou de assumir qualquer compromisso necessário para se reunir aos Rush. Foram precisos mais dois anos . e muita ajuda, amor e apoio da família e amigos – antes de se sentir pronto a tentar.

Em Janeiro de 2001, Neil Peart, Geddy Lee e Alex Lifeson juntaram-se finalmente para tentar descobrir se conseguiriam juntar as peças do que antes tinha sido uma grande banda.
Segundo Neil, “não estabelecemos parâmentros, objectivos nem limitações, decidimos antes abordar o projecto de uma forma calma e civilizada”. O trio trabalhou diligentemente, escrevendo metodicamente e gravando novo material.
Depois de um ano de começos e paragons, e de acertar no alvo e de não acertar no mesmo, o trio emergiu durante setenta e quatro minutos de música, fazendo do material encontrado a sua última oferta – Vapor Trails.

Surpreendemente, em 2002 os Rush surgem mais agressivos do que nunca. As guitarras e os teclados foram subsituídos por arpejos bombásticos e pautas de grande intensidade sonora.
Há também um maior sentido no groove tocado por Peart, algo que não prevalecia no passado. Neil fala sobre a nova direcção “ nós imaginámos painéis publicitários com frases como “se não os odiavam antes, agora vão mesmo odiá-los”! As reviews surgem vagas quanto ao material, mas a bateria agressiva é falada em todas.
De facto, logo na primeira faixa, o tema "One Little Victory" abre com um pujante e agressivo pedal duplo que claramente anuncia ao mundo “Eleee estáááá de voltaaaaaa!”

O génio de Peart está de volta, sem dúvida alguma. Num ensaio recente para o fifty-plus-date da tour de Rush, Neil estava incrivelmente seguro.
Observando-o a tocar na sala de ensaios da banda, tocando vinte ritmos diferentes sem qualquer amplificação, foi admirável. Ninguém toca com maior poder do que Neil Peart. O seu estilo adequa-se perfeitamente a grandes estádios. Mas também como era de esperar, no meio daquele poder aparece o intelecto e inteligência que gosta de distorcer padrões e preencher espaços com sons sincopados.
Aliado a isso, é o novo apreço de Neil pelo groove. E assim sendo, parece que Peart se prepara para inspirar uma nova e completa geração de bateristas – outra vez.
Baronesa não está cá agora...   Citar esta Mensagem
Não lido Seg, 11 de Junho de 2007   #2
Baronesa
 
Membro desde: 9-Mar-2007
Local: Lx
Mensagens: 244
Baronesa é uma jóia em brutoBaronesa é uma jóia em brutoBaronesa é uma jóia em bruto

Última edição de Baronesa : Seg, 11 de Junho de 2007 às 20:07.
Baronesa não está cá agora...   Citar esta Mensagem
Não lido Sex, 6 de Novembro de 2009   #3
Baronesa
 
Membro desde: 9-Mar-2007
Local: Lx
Mensagens: 244
Baronesa é uma jóia em brutoBaronesa é uma jóia em brutoBaronesa é uma jóia em bruto
Re: Mini Bio: Neil Peart

Quando eu tinha seis ou sete anos, lembro-me de acreditar fervorosamente que podia fazer com que as coisas más não acontecessem se me preocupasse muito com elas. Agora reconheço que essa necessidade atávica era como uma espécie de oração, e que ainda era suficientemente supersticioso para acreditar em pensamentos mágicos.
Esperando escapar ao ser apanhado a mentir, ou a um castigo por ter partido alguma coisa acidentalmente, eu preocupava-me com essas coisas muitas vezes e com muita força. Se, apesar de toda as orações, o meu crime era descoberto, então decidia que não me tinha preocupado o suficiente.
Sem o saber, tinha inventado a minha pequena religião, a Igreja da Preocupação, que funcionava da mesma maneira que todas as outras: se alguma coisa má acontece, a culpa é tua por não teres rezado o suficiente.

Desta vez, acho que devo ter rezado o suficiente - pelo menos até agora.
No dia 12 de Agosto de 2009, Olivia Louise Peart eclodiu para o mundo.
Em discussões prévias sobre um possivel longo e duro trabalho de parto, eu tinha dito que se calhar não queria ficar na sala de partos. As pessoas pareciam pensar que eu tinha medo por causa do sangue, mas eu tinha medo era da dor.
Não tinha muita certeza sobre o quanto conseguiria suportar ao ver a Carrie a sofrer. Eu conseguia suportar o sangue, em doses pequenas, e a minha própria dor, até a um certo ponto, mas não a agonia de alguém que me é tão querido.
Mas correu tudo bem, e eu consegui estar na sala de operações, com uma máscara e uma bata verde esterelizadas, durante todo o procedimento - mantendo-me decidido, pronto para tudo o que conseguisse suportar.
Mais tarde disse à mãe da Carrie que uma situação daquelas precisava que eu mantivesse uma certa postura que foi verdadeiramente fria - altruísta, independente, neutra. Temos literalmente de por os nossos sentimentos de parte.

(...)

Há uns anos atrás, num concerto durante uma extenuante tour, os rapazes da nossa equipa de estrada inventaram uma expressão irónica para a essa realidade existencial. O slogan deles começou com um optimista e orgulhoso "Nós temos a tecnologia", depois passaram para um mesquinho e lamento abjecto "Mas não nos sentimos tão bem".
Às vezes na vida não nos podemos dar ao lixo de "não nos sentirmos tão bem" - quando é hora do espectáculo.

Um minuto depois do nascimento da Olivia, eu estava a toca-la e a segurá-la, enquanto os médicos limpavam as suas vias aéreas, secavam a sua pele e a vestiam.
Depois levei o pequeno embrulho para a apresentar à sua mãe. Uns minutos mais tarde, acompanhei a Olivia na sua primeira viagem, primeiro por um longo corredor até ao berçário, onde ela foi pesada (três quilos quinhentas e quinze gramas para ser exacto) e para ser vista pelo pediatra.

Enquanto ela estava deitada naquele berço de plástico transparente, tentei acalmá-la (ser pesada nua foi especialmente ultranjante para a sua delicada sensibilidade, mesmo assim tive de sorrir quando ela gritou bem alto o seu protesto). Pus o meu dedo na sua mão, e senti os seus dedos minúsculos a fecharem-se com força à sua volta.
Sussurei "Aguenta-te bebé, aguenta-te".
Estava a falar para ela, e para mim.


Texto completo:

http://www.neilpeart.net/news/september_09.html

Última edição de Baronesa : Sex, 6 de Novembro de 2009 às 23:52.
Baronesa não está cá agora...   Citar esta Mensagem
Não lido Dom, 13 de Fevereiro de 2011   #4
Janado
 
Membro desde: 16-Ago-2008
Local: Sr.Roubado
Mensagens: 113
Janado é mesmo fixeJanado é mesmo fixeJanado é mesmo fixeJanado é mesmo fixeJanado é mesmo fixeJanado é mesmo fixe
Re: Mini Bio: Neil Peart

Hey Pessoal

Acabei de escrever uma biografia para o Neil Peart no site DrumLessons.com. Fica aqui o link para a bio. Por favor, caso façam comentários no sistema de comentários da biografia no site do DrumLessons.com não refiram o meu nome (alcunha)...mas podem falar à vontade sobre a bio caso assim o desejem...de preferência bem :P.

http://www.drumlessons.com/drummers/neil-peart/

A bio divide-se em 3 secções diferentes - "Who Is Neil Peart?" que conta a sua história como baterista; "Career Highlights & Musical Projects" que dá conta dos pontos altos da carreira e dos projectos relacionados com música que ele fez; "What Can We Learn From Him?" as coisas que o tornam especial como baterista e com as quais podemos aprender.

Abraço peepz
Janado não está cá agora...   Citar esta Mensagem
Resposta



Opções

Regras
Aqui não podes criar novos assuntos
Aqui não podes responder a mensagens
Aqui não podes colocar anexos
Aqui não podes editar as tuas mensagens

Código vB está Ligado
Smilies estão Ligados
Código [IMG] está Ligado
Código HTML está Desligado
Escolher Fórum

Assuntos Semelhantes
Assunto Autor do Assunto Fórum Respostas Última Mensagem
Novo DVD de Neil Peart: Taking Center Stage Alex Soares CDs, DVDs, Livros e Manuais 9 Seg, 14 de Novembro de 2011 01:21
Neil Peart - Anatomy of a Drum Solo DVD Miguel Martinho CDs, DVDs, Livros e Manuais 1 Qua, 26 de Janeiro de 2011 01:09
[Entrevista] Neil Peart Baronesa Bateristas e Percussionistas 7 Ter, 17 de Agosto de 2010 00:23
NEIL PEART grava música rock para a liga de Hokey - Video - 2010 nunobaiao Bateristas e Percussionistas 6 Sex, 29 de Janeiro de 2010 19:41
Neil Peart - Novo Kit Miguel Martinho Bateristas e Percussionistas 18 Seg, 26 de Maio de 2008 01:18



São agora 19:31. (horário GMT +1)


Design by: vithorius
Copyright ©2001 - 2022, Fórum BateristasPT.com
Powered by vBulletin®
Copyright ©2000 - 2022, Jelsoft Enterprises Ltd.
Gravatar as Default Avatar by 1e2.it